Expedição Maranhão Profundo

Saindo de uma praia nordestina ensolarada pegamos o rumo às profundezas, mistérios e biodiversidade  da floresta amazônica dos Ka’apor e dos Guajajara. Logo a seguir desviamos o caminho e nos deparamos com grandes paredões de arenito e grandes “mesas” e chapadas cobertas de Cerrado  salpicados de cachoeiras. Entre  grandes rios e extensas planícies desembarcamos em um verdadeiro pantanal com enormes espelhos d’água doce a perder de vista. Um pouco adiante entramos numa floresta de palmeiras e seus Cocais para chegarmos ao Semi Árido e seus carnaubais, mandacarus e solos rachados. Percorrendo entre vales, planaltos e pequenas serras de altitudes modestas, voltamos ao segundo maior litoral da nação e desembarcamos em uma imensa reserva de manguezal – uma das maiores do mundo – e navegamos por muitas ilhas com pescadores e praias desertas até chegarmos ao “deserto” que chove e forma inúmeros oásis de águas pluviais, um pouco antes de um famoso Delta das Américas. Já em alto mar ainda tem um grande banco de corais e naufrágios com rica fauna marinha…….e a viagem continua…..

Poderíamos estar resumindo uma viagem pelo Brasil inteiro… mas falamos apenas de um pedaço dele: o que reúne – sem alardear – os principais ecossistemas e biomas do país inteiro em um só lugar.

O Maranhão ostenta um dos piores IDH’s da nação e sempre está nos piores rankings sócio-econômicos. Ironicamente, mas não inexplicavelmente, é um dos Estados mais ricos do ponto de vista natural, cultural e humano, aqui onde MISCIGENAÇÃO se escreve com letras maiúsculas e onde o Brasil é ainda mais brasileiro com fortes heranças das três principais matrizes étnicas de formação de nosso povo.

Desbravar essas riquezas não é tarefa fácil levando em conta as grandes distâncias, estradas ruins e acessos muitas vezes complicados. A beleza profunda e tão brasileira deste torrão é pra aventureiros que abrem mão do conforto convencional e que tem sensibilidade e paciência suficientes para fazer descobertas que muitas vezes não se mostram facilmente, à beira da estrada. A recompensa a tanto esforço é encontrar lugares ainda “puros”, quase intocados e desconhecidos da maioria dos maranhenses e brasileiros. O melhor de toda viagem é se surpreender com maravilhas onde menos se espera e se sentir um verdadeiro explorador pioneiro. Há também aqueles lugares mais acessíveis e mais próximos aos centros urbanos e por isso mais povoados e/ou frequentados, mas não deixam de ser surpreendentes através de um novo olhar, de novas paisagens e descobertas, especialmente quando se transformam ao longo do ano sob as leis da natureza.

O Maranhão é cheio de lugares assim e convida – ainda timidamente – a ser descoberto.

O fotógrafo Evandro Martin e o cineasta Edemar Miqueta  atenderam a esse convite em uma de suas visitas aqui aonde o Nordeste encontra o Norte e onde a Caatinga e o Cerrado vão dando espaço para a maior floresta tropical do planeta.

A expedição “MARANHÃO PROFUNDO  DA AMAZÔNIA À CAATINGA” já está dando os seus primeiros passos e a MARAMAZON – que se orgulha muito de ser filha deste tesouro de torrão e sempre faz o seu papel na divulgação de nossos atributos naturais e culturais e na sensibilização e educação ambiental –  não poderia estar alheia a esse importante projeto, que tem como culminância a publicação de um livro de fotografias que vai revelar para para o Brasil e para o planeta o Maranhão muito além dos azulejos e das dunas. Mais importante ainda: vai ser capaz de provocar em cada maranhense a vontade de conhecer melhor sua terra, o sentimento de pertencimento, o orgulho, o amor e o desejo de preservação e de cuidado. Quem sabe assim começamos a vislumbrar um futuro melhor para as próximas gerações de maranhenses.

Revelar o Maranhão é revelar o Brasil profundo!

Boa viagem Evandro e Edemar e – como manda a nossa tradicional hospitalidade: “Entrem, se abanquem e estejam à vontade”.

(Rafael dos Santos Marques).


Desde 2011 que percorremos pelo estado do Maranhão. A cada incursão a admiração e encantamento foram tomando conta de nossos corpos e almas.  Em 2013 fomos morar na capital, São Luís, com o intuito de facilitar o acesso às diversas regiões do estado. Foi quando surgiu a ideia de realizar Maranhão Profundo, uma expedição para registrar em imagens, as diversas belezas naturais do Maranhão e reuni-las num livro fotográfico. Um projeto difícil, caro e cheio de desafios. Para conseguir realizá-lo contamos com o apoio de Rafael Marques, empresário da área de turismo e grande divulgador das maravilhas do naturais do estado do Maranhão, bem como de Joaquim Haickel através da Fundação Nagib Haickel, Museu da Memória do Audiovisual do Maranhão e do Núcleo de Produção Digital do Maranhão NPD-MA e ainda de Inaldo Lisboa (Gestor do IFMA Campus de Itapecuru-Mirim/MA e grande amigo). Sem o auxílio desses parceiros e amigos, o projeto seria impossível de ser realizado.

Serão percorridos 30 mil quilômetros, passando por 32 municípios durante 136 dias divididos em duas fases.

Convido você, a nos acompanhar nesta jornada e conhecer este pedaço do Brasil, esse “MARANHÃO PROFUNDO”.

Anúncios